Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

oraviva

oraviva

15
Jun18

Professores - Greve e ilegalidades do ME

publicado por júlio farinha

Notas sobre as “instruções”da famigerada nota informativa da DGestE

 

Segundo os sindicatos e juristas:

 

1º   A nota informativa não tem valor de lei;

 

2º   As instruções às escolas e nomeadamente aos directores são ilegais e susceptíveis de procedimento disciplinar aos directores por atentado ao direito à greve;

 

3º   Muitas dezenas de directores já declararam não seguir as “instruções” citadas;

 

4º   Não devem os professores entregar as suas notas antecipadamente e se já o fizeram estejam tranquilos pois aquelas só têm valor se discutidas  nos Conselhos de Turma onde estejam presentes todos os professores.

 

   Agora, mais do que nunca, devem os professores fazer greve a partir de 18/6 seguindo as instruções que contam – as dos sindicatos.

 

   Uma Federação estima que o valor a descontar a cada professor por reunião é 9 euros. Como é provável que alguns professores façam um maior número de greves do que outros, será justo uma repartição dos “prejuízos”. Sugere-se que se constitua em cada escola um fundo de greve. Eu comparticipo.

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    júlio farinha 17.06.2018

    Assim será. Uma das maiores lutas na história do ensino em Portugal.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D